Efeito da suplementação de zinco associada com dieta de cafeteria sobre marcadores de neuroinflamação e memória em ratos wistar

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2020
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Wagner Wessfll
Resumo
A obesidade desencadeia um perfil pró-inflamatório sistêmico, que afeta o centro sistema nervoso central (SNC), predispondo ao desenvolvimento de doenças neurológicas. O Zn é um mineral que tem potente ação anti-inflamatória, portanto, pode desempenhar um papel como agente neuroprotetor nesse perfíl obesogênico. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da suplementação de Zn sobre parâmetros metabólicos, neuroinflamatórios e de memória em ratos Wistar machos que receberam dieta de cafeteria. Para isso, 28 ratos Wistar foram divididos em 4 grupos: dieta controle (CT); CT + Zn; dieta de cafeteria (CAF); CAF + Zn. A dieta foi administrada por 20 semanas e o tratamento com Zn (10mg/Kg/dia, por gavagem) começou a partir da 16ª semana até o final do protocolo da dieta. A memória foi avaliada pelo teste de reconhecimento de objetos e o índice de reconhecimento (IR) foi calculado. O ganho de peso e a gordura visceral foram quantificados. Os níveis de insulina, glicose e triglicerídeos foram avaliados no plasma, bem como os níveis de TNF-α e IL-6. Também foi calculado o índice de HOMA (HOMA-IR). No SNC, foi avaliado por Western blot a expressão proteica de GFAP, Iba-1 e TLR-4 no córtex cerebral e TLR-4 no hipocampo. Os dados foram avaliados por ANOVA de duas vias seguido pelo teste de Tukey considerando p≥ 0,05 como significante. Os animais que receberam CAF apresentaram maior ganho de peso e gordura visceral que o grupo CT, sendo que o Zn não interferiu nessas medidas. A CAF também causou um aumento nos níveis de glicose e triglicerídeos no plasma e a suplementação com Zn reverteu a hiperglicemia causada pela CAF. Os níveis de insulina foram semelhantes entre os grupos, mas o HOMA-IR foi maior nos grupos que receberam CAF, sem efeito do Zn. O TNF-α foi aumentado nos grupos CAF, e o Zn não modificou esse resultado. A IL-6 foi reduzida nos grupos que receberam Zn, tendo diferença significativa entre os grupos CAF e CAF+Zn. No córtex cerebral, a expressão de GFAP foi semelhante entre os grupos; o Iba 1 foi aumentado pela CAF, mas reduzido no grupo CAF+Zn; já o TLR-4 aumentou nos grupos CAF e CAF+Zn. No hipocampo, a expressão de TLR-4 foi aumentada no grupo CAF e reduzida no grupo CAF+Zn. No teste de reconhecimento de objetos, os animais obesos apresentaram pior desempenho e o tratamento com Zn foi capaz de reverter esse déficit. Assim, nossos resultados demonstram que a suplementação de zinco reduziu parcialmente a disfunção metabólica causada pela dieta da cafeteria. Por outro lado, o Zn foi efetivo para amenizar a neuroinflamação e o déficit de memória e neuroinflamação causados pela obesidade.
Descrição
Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
Palavras-chave
Obesidade, TNF-α, IL-6, GFAP, Iba-1, TLR-4, Memória de Reconhecimento, [en] Obesity
Citação