Tutoriais educativos sobre registro da atividade clínica do farmacêutico hospitalar no prontuário do paciente

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2020
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Wagner Wessfll
Resumo
Introdução: o farmacêutico deve elaborar registro de forma clara e ordenada no prontuário do paciente, possibilitando a comunicação entre os membros da equipe multiprofissional facilitando a continuidade à assistência hospitalar. Objetivo: conhecer a opinião e a prática dos farmacêuticos e dos professores de graduação em Farmácia sobre a atuação e a formação do farmacêutico hospitalar no Brasil relacionada ao registro/evolução das atividades clínicas farmacêuticas em prontuário do paciente para fundamentar a elaboração de tutoriais educativos. Metodologia: pesquisa realizada em três etapas: 1) revisão integrativa; 2) estudo transversal quantitativo; e 3) elaboração de três tutoriais educativos. A coleta de dados ocorreu por meio de dois questionários em formato eletrônico, um para os farmacêuticos atuantes em hospitais brasileiros e outro para professores dos cursos de Farmácia de instituições de ensino superior brasileiras, públicas e privadas. A elaboração dos três vídeos tutoriais educativos foi norteada pelo modelo ADDIE. Resultados: a revisão integrativa analisou 26 artigos, desses, apenas 31% dos estudos reportam ao registro das atividades clínicas do farmacêutico em prontuário. Em relação aos 47 professores que participaram da pesquisa evidenciou-se: 66% afirmaram abordar o tema registro/evolução em prontuário em aula com uma carga horária (CH) média de 11,55 ±16,14 horas; 42,6% disponibilizam aos alunos acesso ao prontuário; 100% consideram o tema importante; 80% acreditam que a graduação não prepara o aluno para registrar em prontuário. Observou-se que os professores que consideram o farmacêutico egresso preparado para realizar o registro em prontuário são aqueles que informaram maior carga horária de aula destinada ao tema (p= <0,05). Entre os 248 farmacêuticos participantes: 77,33% já documentaram suas atividades clínicas em prontuário; 58,06% informaram ter recebido instrução formal sobre o tema; 9,27% receberam orientações durante a graduação; 89,92% afirmaram que os farmacêuticos devem registrar/evoluir as atividades de cuidado ao paciente em prontuário. Os farmacêuticos que se sentem aptos para o registro tiveram maior grau de formação acadêmica, experiência em Farmácia Clínica, conhecimento sobre legislação e metodologia de registro (p < 0,05). Conclusão: o registro farmacêutico no prontuário do paciente foi considerado importante pelos farmacêuticos docentes e atuantes na área hospitalar, portanto a educação permanente sobre esse tema deve ser estimulada. Produtos: direcionado ao processo de ensino-aprendizagem e educação permanente em saúde foram produzidos três vídeos tutoriais sobre o tema registro/evolução do farmacêutico no prontuário, em português legendado em inglês, para apoiar o ensino e disseminar o conhecimento na área da Farmácia. Artigo científico sobre o tema foi publicado em um periódico científico.
Descrição
Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
Palavras-chave
Registro/Evolução do Farmacêutico em Prontuário, Prontuário Médico, Serviço de Farmácia Clínica, Farmacêutico Hospitalar, Educação Médica Continuada, [en] Medical Records, [en] Pharmacy Service, Hospital, [en] Education, Medical, Continuing
Citação