Prevalência de COVID-19 entre profissionais que atuaram em emergências hospitalares durante o pico da primeira onda em 2020 em Porto Alegre, Brasil

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2022
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Resumo
Resumo: Sabe-se muito pouco sobre a frequência de COVID-19 em profissionais de saúde, principalmente em países em desenvolvimento. Materiais e Métodos: Estudo de coorte para avaliar a prevalência de COVID19 em profissionais que atuam nas unidades de emergência de cinco hospitais terciários de grande porte localizados em Porto Alegre, RS (população 1,4 milhão). Os trabalhadores foram avaliados em 20-24 de julho (2020), e novamente após três semanas. Em cada encontro, os dados clínicos foram obtidos e inseridos no banco de dados REDCap e uma amostra de sangue foi colhida por punção digital para detecção de anticorpos (Biossensor Duo-sensor Q COVID-19 IgM / IgG Padrão, Coréia do Sul). Resultados: Os participantes (n = 1.163) eram em sua maioria mulheres (66,6%) e a mediana de idade foi de 38 anos. O contato próximo com COVID-19 foi relatado por 82,3%. Na primeira fase do estudo, um total de 5,5% (n = 64) tinham anticorpos contra COVID-19 (26 IgM; 19 IgG; 19 ambos), incluindo 34,6% (n = 27) de trabalhadores previamente diagnosticados com COVID-19 (n = 78). Após três semanas, a soropositividade era de 5,6% (17 IgM; 17 IgG; 17 ambos). IgM e IgG tornaramse negativos na segunda avaliação do estudo para 55,3% e 50,0% dos participantes que eram previamente positivos para esses anticorpos, respectivamente. Conclusão: Este estudo revela que grande parte dos profissionais de saúde foi exposta ao SARSCoV-2, desenvolveu COVID-19 e apresentou anticorpos contra a doença. A detecção de anticorpos é limitada pela baixa sensibilidade dos métodos de diagnóstico pontuais. Para a maioria dos pacientes, os anticorpos desaparecem com o tempo, o que pode ter implicações importantes para a detecção de casos positivos em estudos epidemiológicos, bem como para a prática clínica.
Descrição
Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Patologia, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
Palavras-chave
Epidemiologia, COVID-19, Prevalência, Atendimento de Emergência, Profissionais da Saúde, [en] Epidemiology, [en] Prevalence, [en] Ambulatory Care, [en] Health Personnel
Citação