Saúde mental e bem-estar de policiais militares em contexto de treinamento para atuação em operações especiais

Imagem de Miniatura
Data
2023
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Resumo
Esta dissertação origina-se de um projeto maior de pesquisa que tem por objetivo estudar o cotidiano laboral, dimensão psicossocial do trabalho, saúde mental e qualidade de vida de policiais militares em formação e efetivos do Batalhão de Operações Especiais do Rio Grande do Sul, sendo de delineamento longitudinal e com método misto (técnicas quantitativas e qualitativas de coleta e análise de dados). No recorte da presente dissertação, objetivou-se estudar a saúde mental e o bemestar de policiais militares que se encontravam realizando o curso de especialização em operações policiais especiais. Trata-se de um estudo no campo no qual atuam profissionais constantemente expostos a situações recorrentes de riscos à integridade, tanto físicos quanto psicológicos. Por atuarem ou estarem em treinamento para atuar em uma unidade de operações especiais, faz-se necessário maior preparo e desenvolvimento de competências específicas. A pesquisa teve como objetivo compreender características psicológicas e psicossociais associadas ao exercício dessa função. Esta dissertação originou dois artigos empíricos. No artigo 1, avaliou-se o efeito da interação de fatores psicológicos e psicossociais ao longo do tempo (pré e pós curso de especialização em operações especiais), entre concluintes e não concluintes. Participaram 74 policiais militares ingressantes no curso. Foram aplicados questionários, instrumentos autoaplicáveis e testes psicológicos padronizados referentes a personalidade, estresse, coping, qualidade de vida e fatores psicossociais.Os resultados mostraram mudanças nas variáveis ao longo do tempo e entre os grupos, principalmente em relação aos fatores psicossociais. A estratégia de enfrentamento predominante foi foco no problema. Os concluintes tiveram melhores escores no domínio psicológico referente a qualidade de vida. Conclui-se que os fatores ambientais, físicos e emocionais se mostraram importantes fatores associados ao término do curso. No artigo 2, objetivou-se identificar características psicológicas de policiais militares vinculados às operações especiais e aqueles em treinamento para essa função. Realizou-se um estudo correlacional, do qual participaram 124 policiais, sendo 50 efetivos do batalhão de operações especiais e 74 em formação para tal. Aplicaram-se os instrumentos: questionário sociodemográfico e laboral, escala de estresse percebido, Coping Orientation to Problems Experienced Inventory (COPE), Escala de Avaliação da Impulsividade e Bateria Fatorial de Personalidade (BFP). Nos resultados constataram-se diferenças significativas entre grupos em 7 itens do BFP. Tais resultados são compreendidos à 9 luz da natureza do trabalho exercido pelo BOPE e, possivelmente, são indicadores psicológicos relevantes acerca da função especializada de operadores especiais no contexto da segurança pública no país. Os resultados podem trazer contribuições significativas acerca do perfil psicológico destes operadores especializados, tal como pode contribuir na ampliação de conhecimento laboral sobre as demandas técnicas e psicológicas que a segurança pública necessita nas atribuições de suas tarefas.
Descrição
Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia e Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciência da Saúde de Porto Alegre
Palavras-chave
Saúde Mental, Polícia Militar, Operações Especiais, [en] Mental Health, [en] Military Police, [en] Special Operations
Citação