Qualificação do Cuidado Obstétrico: curso de educação permanente em saúde

Imagem de Miniatura
Data
2024-03-14
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Resumo
Introdução: Devido ao crescente avanço do movimento pela humanização do nascimento, vem se fortalecendo o protagonismo da mulher, o cuidado interdisciplinar e integral e a prática baseada em evidências. Essa mudança no formato da assistência obstétrica elucida a importância da aquisição de competências técnicas e relacionais, a fim de garantir a qualidade da assistência prestada às gestantes durante o trabalho de parto. A educação permanente em saúde (EPS) é uma excelente ferramenta para suprir a necessidade de qualificação profissional, pois entende que o conteúdo a ser estudado deve ser gerado a partir de necessidades de conhecimento emergidas em situações vivenciadas pelos próprios trabalhadores. Nesse cenário, a educação a distância (EaD) vem para potencializar a EPS, pois o meio digital proporciona alternativas para o desenvolvimento de competências, proporcionando o aperfeiçoamento ao longo da trajetória profissional. Objetivo: Aprimorar o conhecimento da equipe de enfermagem acerca da assistência ao trabalho de parto através de um curso na modalidade a distância. Metodologia: Estudo de método misto, de caráter exploratório, de natureza aplicada, realizado no Centro Obstétrico (CO) de um hospital de referência no RS. A população foi composta por dois grupos: o público-alvo do curso, composto pela equipe de enfermagem do referido CO, e o Comitê de Especialistas, responsáveis por validar o conteúdo do curso proposto. Para concepção do curso foi utilizado o design instrucional Modelo ADDIE (analysis; design; development; implementation; evaluation). Como instrumentos de coleta de dados foram utilizados um questionário prévio ao curso e a Matriz SWOT, para identificar o conhecimento dos participantes e alinhar o conteúdo do curso. A validação do conteúdo do curso se deu através do Instrumento de Validação de Conteúdos Educacionais em Saúde (IVCES), realizado pelo Comitê de Especialistas antes do curso ser disponibilizado para o público-alvo. Ao realizar o curso foi aplicado um questionário pré e pós teste, e um questionário de avaliação do curso. Este estudo atendeu aos preceitos éticos contidos nas Resoluções do CNS nº 466/12 e 210/16 e na Carta Circular nº 01/21 – CONEP/SECNS/MS. Este estudo foi inserido na plataforma Brasil e aprovado sob o parecer consubstanciado nº 5.456.629. Resultados: Os especialistas foram compostos 50% por profissionais da enfermagem obstétrica e 50% informática/EaD, todas do sexo feminino, com doutorado e atuantes na docência. O curso foi validado com nível de concordância satisfatório. Dos cursistas, 15% eram enfermeiras e 85% técnicos de enfermagem, 85% do gênero feminino, com idade média de 36,9 anos, 50% da amostra eram formados entre 1 e 5 anos e 45% trabalhavam no CO entre 1 e 5 anos. Verificou-se diferença significativa na quantidade média de acertos entre as duas avaliações, evidenciando que a quantidade de acertos foi maior após o curso. Todos os participantes apresentaram reação positiva ao curso. Conclusão: Entende-se que o curso contribuiu para o conhecimento da equipe de enfermagem sobre assistência ao parto de forma geral e que os cursistas apresentaram reação positiva ao curso.
Descrição
Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
Palavras-chave
Educação em Saúde , Trabalho de Parto, Educação Continuada , Enfermagem Obstétrica , [en] Health Education, [en] Labor, Obstetric, [en] Education, Continuing, [en] Obstetric Nursing
Citação