Efeito do exercício excêntrico nos músculos extensores de joelho em condições isotônicas e isocinéticas após meniscectomia parcial ou reconstrução do ligamento cruzado anterior

Imagem de Miniatura
Data
2018
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Resumo
As lesões do ligamento cruzado anterior (LCA) e lesões meniscais são responsáveis por redução da força e massa muscular de extensores de joelho no período pós-operatório. Esses prejuízos podem promover instabilidade articular no joelho, gerando restrição a sua funcionalidade e, consequentemente, limitação das atividades de vida diárias e esportivas. O tema desta tese de Doutorado é comparar os efeitos do treinamento excêntrico convencional (carga constante) e excêntrico isocinético na massa muscular do quadríceps, força e desempenho funcional em atletas recreacionais após reconstrução do LCA ou meniscectomia parcial. Foram realizados dois ensaios clínicos randomizados, sendo as amostras compostas por 30 atletas recreacionais submetidos à reconstrução do LCA (Capítulo I) e 32 atletas recreacionais após meniscectomia parcial (Capítulo II). Os voluntários foram randomizados em: Grupo Convencional (GC), submetido a um programa de reabilitação muscular baseado no exercício excêntrico isotônico; e Grupo Isocinético (GI), submetido a um programa de reabilitação muscular baseado no exercício excêntrico isocinético. Anteriormente aos protocolos de reabilitação muscular, os indivíduos foram submetidos a um mesmo protocolo fisioterapêutico. Os programas de reabilitação muscular iniciaram aproximadamente 45 dias pós-reconstrução do LCA e 15 dias após meniscectomia parcial, o membro não operado foi utilizado como controle. Cada sessão de treinamento compreendeu a realização de 3 séries (semanas 1-3) ou 4 séries (semanas 4-6) de 10 repetições excêntricas máximas de extensores de joelho. Os programas tiveram duração de seis semanas, com frequência de treinamento de duas sessões por semana, separados por um intervalo mínimo de 72 horas. Foram realizadas avaliações da massa muscular por meio da área de secção transversa anatômica do quadríceps (ressonância nuclear magnética), força dos músculos extensores de joelho (dinamometria isocinética) e desempenho funcional do indivíduo (questionário e teste de salto) antes e após os programas de treinamento excêntrico. Nos indivíduos submetidos à reconstrução do LCA, o treinamento isocinético promoveu tamanhos de efeito grande para todos os desfechos de massa muscular (aumentos de 17-23%), bem como força extensora do joelho (25-66%) e desempenho de salto (20%). O treinamento convencional promoveu efeitos pequeno à moderado para desfechos de massa muscular (5-9%), tamanhos de efeitos moderado a grande para força extensora do joelho (16-0%) e tamanho de efeito grande para desempenho de salto (15%). Ambos os grupos apresentaram tamanhos de efeito grande no questionário Lysholm. O grupo IG apresentou maiores alterações que o GC para todos os desfechos de massa muscular (tamanho do efeito: 0,72-1,08), questionário Lysholm (tamanho do efeito: 0,7), força isométrica (tamanho do efeito: 0,71) e força excêntrica (tamanho do efeito: 0,96). Já nos indivíduos após meniscectomia parcial, o treinamento isocinético promoveu tamanhos de efeito grande para todos os desfechos de massa muscular (aumentos de 9-10%), bem como força extensora do joelho (22-38%) e desempenho de salto (15%). O treinamento convencional promoveu efeitos pequenos para desfechos de massa muscular (3-8%), tamanhos de efeito pequeno a moderado para força extensora do joelho (3-11%) e tamanho de efeito moderado para desempenho de salto (11%). Ambos os grupos apresentaram tamanhos de efeito grande no questionário Lysholm. O grupo IG apresentou maiores alterações que o GC para todos os desfechos de massa muscular (tamanhos de efeito: 0,99-1,41), bem como força (tamanhos de efeito: 1,48-2,35) e questionário Lysholm (tamanho do efeito: 1,00). O treinamento isocinético excêntrico promoveu adaptações mais expressivas que o treinamento excêntrico convencional na massa e força muscular extensora do joelho de atletas recreacionais submetidos à reconstrução do LCA ou meniscectomia parcial.
Descrição
Tese (Doutorado)-Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
Palavras-chave
Joelho, Ligamento Cruzado Anterior, Meniscos Tibiais, Dinamômetro de Força Muscular, Músculo Quadríceps, [en] Knee, [en] Anterior Cruciate Ligament, [en] Menisci, Tibial, [en] Muscle Strength Dynamometer, [en] Quadriceps Muscle
Citação
Coleções