Avaliação da relação da classificação molecular por imunofenotipagem nos carcinomas infiltrantes de mama com escore 2 e 3 do CerbB2 e a concordância com a amplificação do gene Her-2 pelo método do SISH

Imagem de Miniatura
Data
2017
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Resumo
Introdução: O HER2 é um marcador tumoral importante no câncer de mama para a elegibilidade da terapêutica com o trastuzumab, por isso é essencial determinar corretamente o estado da sua amplificação. Entre as técnicas utilizadas para sua determinação, estão a imunoistoquímica (IHQ), hibridização in situ por fluorescência (FISH) e a hibridização in situ pela prata (SISH). O método do SISH é confiável e tem a mesma precisão do FISH, porém é mais acessível e econômico, por usar a microscopia óptica de luz. Objetivos: Este estudo pretende avaliar a relação da classificação molecular por imunofenotipagem dos carcinomas de mama infiltrantes com escore 2+ e 3+ do CerbB-2 com a amplificação do gene HER2 determinada pelo SISH. Material e métodos: Foram revisados os resultados anátomo-patológicos de 182 casos de mastectomia ou setorectomia com diagnóstico do carcinoma infiltrante da mama diagnosticados pelo laboratório de patologia da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre com seus respectivos exames imunoistoquímicos com escore 2+ e 3+ do cerbB-2 e com a determinação da amplificação do HER2 pelo método do SISH entre janeiro de 2013 e agosto de 2016. Resultados: Dos 182 pacientes, 150 casos foram classificados como escore 3+ por IHQ (82,4%) e 32 casos como escore 2+ (17,6%). Se encontrou amplificação pelo SISH em 135/150 casos escore 3+ (90,0%) e em 2/32 casos escore 2+ (6,3%) e 15/135 casos escore 3+ (10,0%) e 30/32 casos escore 2+ (93,7%) não apresentaram amplificação pelo SISH, intervalo de confiança 95%, VPP: 95,3% e PVN: 90.1%. Conclusão: A imunoistoquímica apresenta baixa taxa de falsos negativos (6,3%) e falsos positivos (10,0%) e deve permanecer como método de primeira linha para a avaliação da determinação do status do HER2 no carcinoma mamário. O método do SISH permite determinar com segurança o status do HER2 e é mais adequado para o uso na rotina dos laboratórios de patologia e com menores custos.
Descrição
Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Patologia, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
Palavras-chave
Carcinoma Mamário, HER2, Hibridização In Situ pela Prata (SISH), Imuno-Histoquímica, [en] Breast Neoplasms, [en] Receptor, ErbB-2, [en] In Situ Hybridization, [en] Immunohistochemistry
Citação