Efeito do peso em membros inferiores na marcha de indivíduos com ataxia espinocerebelar III (SCA3)

dc.contributor.advisorRieder, Carlos Roberto de Mello
dc.contributor.authorEltz, Giovana Duarte
dc.date.accessioned2016-10-11T18:32:58Z
dc.date.accessioned2023-10-09T13:51:43Z
dc.date.available2016-10-11T18:32:58Z
dc.date.available2023-10-09T13:51:43Z
dc.date.date-insert2016-10-11
dc.date.issued2014
dc.descriptionDissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.pt_BR
dc.description.abstractIntrodução: A utilização de peso na região distal dos membros inferiores (MI) melhora o equilíbrio estático, antecipatório e reativo, assim como a coordenação da marcha e tremor cerebelar de pacientes com ataxia. O objetivo deste estudo foi avaliar a marcha de indivíduos com ataxia espinocerebelar tipo 3 (SCA3) com o emprego de peso nos membros inferiores. Métodos: Trata-se de um estudo quase experimental, onde a investigação foi realizada com 25 sujeitos com diagnóstico de doença SCA3 (doença de Machado Joseph) com ataxia na marcha. Para serem incluídos os indivíduos deveriam ter entre 25 e 65 anos, diagnóstico de SCA3 confirmada molecularmente e deambulantes. Foram excluídos os indivíduos que necessitavam de auxilio de dispositivos para marcha (muletas, cadeira de rodas, órteses), que tenham a pontuação ≥ 4 no item da marcha na Escala para Avaliação e Graduação de Ataxia (SARA) ou incapazes de deambular por mais de 10 m. Todos pacientes foram avaliados nas seguintes condições: marcha sem intervenção de peso, caneleira placebo (42 g), com peso de 0,5 kg e 1 kg. Os pacientes foram avaliados quanto aspectos da ataxia da marcha por meio dos itens 1, 2, 3 e 8 da escala de SARA. A avaliação cinemática da marcha foi feita por meio da colocação de um cinto com o acelerômetro e giroscópio (Free4Act system – PROTOCOL WalkL5 Ver. 1.6 durante uma caminhada por 10 m), avaliando velocidade, cadência, comprimento do passo, duração da passada, fase de apoio, fase de balanço, duração de duplo apoio e de apoio simples e as oscilações do tronco em relação à flexão e extensão, flexão lateral e rotações. Ao final das avaliações os participantes foram questionados, qual a preferência deles em relação as caneleira utilizadas para deambulação. As frequências absolutas e em percentual foram calculadas para as variáveis qualitativas bem como média e desvio-padrão para as quantitativas. Para a comparação dos grupos, utilizou-se um modelo de equações generalizadas GEE (Generalized Estimating Equations) que permite comparar mais de dois grupos considerando a correlação existente entre as observações do mesmo paciente. Para as comparações duas a duas, utilizou-se a correção de Bonferroni. O nível de significância adotado foi 5%. As análises foram procedidas no software SPSS versão 18. Resultados: Na pontuação da SARA, comparação entre as caneleiras, tivemos uma diminuição da pontuação com a utilização dos pesos de 0,5 kg e 1 kg. Na avaliação da impressão dos pacientes 80% dos mesmos referiram beneficio com uso de caneleira com algum peso. A velocidade e cadência da marcha apresentaram redução significativa com utilização de caneleiras. Os demais itens do ciclo da marcha não tiveram diferença estatística. Conclusão: A adição de peso na região distal dos membros inferiores melhorou a graduação da SARA, diminuiu a velocidade e a cadência da marcha, ficando com parâmetros mais próximos da normalidade. Além disso, os indivíduos relataram melhora para deambular logo após a colocação dos pesos. A utilização de caneleiras em pacientes com SCA3 traz benefício no distúrbio atáxico apresentado por estes indivíduos.pt_BR
dc.description.abstract-enIntroduction: Weight use on lower limbs causes improvements in static, reactive and anticipatory balance as well as gait coordination and cerebellar tremor in ataxic patients. The overall objective was to compare gait of ataxic individuals with spinocerebellar ataxia type 3 (SCA3) with weight and no weight use at lower limbs. Methods: The methodology used was a quasi-experimental design. This research was conducted with 25 subjects with a diagnosis of Machado-Joseph disease presenting ataxic gait. For inclusion, individuals should be diagnosed as Spinocerebellar Ataxia Type 3 (SCA 3), performed by genetic testing for at least 2 years; aged between 25 and 65 years old. Excluded were those who needed assistance device for walking (crutches, wheelchairs, orthotics), with Scale for the Assessment and Graduation of Ataxia (SARA) ≥ 4 in the gait item without the use of weight through 10m. Was applied to SARA with no weight, using a placebo weight (42g), 0,5 kg and 1 kg for items 1, 2, 3 and 8, the remaining items (4, 5, 6 and 7) the scale was applied only once with no weight. For gait assessment, 20 subjects, who put a belt with the accelerometer and gyroscope and held a walk for 10 meters to fit after the individual made the same journey to collect the data, were evaluated. The kinematic gait assessment was performed by placing a belt with the accelerometer and gyroscope, assessing speed, cadence, stride length, duration of the last, stance phase, swing phase, duration of double support and single support and. changes oscillations of trunk in relation to flexion / extension, lateral flexion and rotation. The order of use of weights was randomized. Among the routes, all subjects rested for at least 5 minutes. At the end of the evaluations was questioned, individuals, which their preference regarding weights used. The absolute frequency and percentage were calculated for qualitative variables and mean and standard deviation for quantitative variables. To compare the groups, we used a model of generalized equations GEE (Generalized Estimating Equations) for comparing more than two groups considering the correlation between observations from the same patient. For comparing two by two, we used the Bonferroni correction. The level of significance was 5 %. The testing was performed using SPSS software version 18. Results: In the scores of SARA, comparison between the weights, present a decrease in score with the use of weights 0.5kg and 1kg. 80 % of subjects preferred to use some weight. With the placement of the weights, we had a decrease in the speed and cadence with a significant difference. The remaining items of the gait cycle had no statistical difference. Conclusion: Addition weight on lower limbs improved graduation SARA, decreased speed and cadence, getting closer to the normal range of gait. Subjects reported improvement in gait immediately after the placement of the weights. The use of weights in patients with SCA3 brings benefit in ataxic disorder presented by these individuals.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufcspa.edu.br/handle/123456789/227
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.requiresAdobe Readerpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto Imediato*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/*
dc.subjectDoença de Machado-Josephpt_BR
dc.subjectAtaxiapt_BR
dc.subjectAtaxias Espinocerebelarespt_BR
dc.subjectMarchapt_BR
dc.subjectReabilitaçãopt_BR
dc.subject[en] Machado-Joseph Diseaseen
dc.subject[en] Spinocerebellar Ataxiasen
dc.subject[en] Gaiten
dc.subject[en] Rehabilitationen
dc.titleEfeito do peso em membros inferiores na marcha de indivíduos com ataxia espinocerebelar III (SCA3)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
[DISSERTAÇÃO] Eltz, Giovana Duarte
Tamanho:
1012.26 KB
Formato:
Unknown data format
Descrição:
Texto completo
Licença do Pacote
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
1.71 KB
Formato:
Plain Text
Descrição: