Saúde e mobilização subjetiva no trabalho de policiais militares efetivos e em formação do Batalhão de Operações Especiais do Rio Grande do Sul

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2023
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Resumo
Essa dissertação apresenta dois artigos provenientes de estudo sobre a relação entre saúde e mobilização subjetiva associadas ao contexto de trabalho de policiais militares vinculados às operações especiais de um estado do Sul do país. Na primeira etapa do estudo (objeto do artigo 1, quantitativo de natureza correlacional), 124 participantes responderam a nove instrumentos [questionário sociodemográfico elaborado pelas autoras, três testes psicológicos (Inventário Fatorial de Personalidade II, Bateria Fatorial de Personalidade e Escala de Avaliação da Impulsividade), cinco questionários padronizados autoaplicáveis (questionário de saúde geral, escala de percepção do estresse, World Health Organization Quality of Life – bref para avaliação da qualidade de vida, COPE para avaliação das estratégias de coping, e Copenhagen Psychosocial Questionnaire II versão média para avaliação dos fatores psicossociais do trabalho)]. Neste, são apresentados os resultados das avaliações de personalidade, impulsividade, saúde geral, estresse, qualidade de vida, coping e fatores psicossociais do trabalho, bem como dois modelos preditivos do bem-estar psíquico deste grupo ocupacional. Identificaram-se variáveis de risco que impactam diretamente no bem-estar psíquico e seu peso preditor, tais como: conflito trabalho-família, menor percepção de possibilidade de desenvolvimento, falta de concentração e persistência, coping evitativo, e depressão. Como protetivas ao bem-estar psíquico: boa saúde geral, domínio psicológico da qualidade de vida e coping focado no problema. Na segunda etapa do estudo (objeto do artigo 2, estudo qualitativo de natureza exploratória), foram realizados três grupos focais dos quais participaram 19 policiais vinculados de forma efetiva ao BOPE, com o intuito de conhecer vivências e percepções no que diz respeito às relações entre seu contexto laboral e mobilização subjetiva. O conjunto dos dados traz o foco para as vivências dos processos de saúde-adoecimento e seus determinantes para essa categoria profissional. Discutiu-se sobre a identidade subjetiva atravessada pelas vivências de trabalho e aspectos grupais, como amizade e sentimentos de sobre humanidade. Os achados dos artigos descrevem um grupo coeso com senso de pertencimento, que tem bons índices de saúde. Propõem-se a contribuir com tais subsídios para a visibilidade de processos de saúde-adoecimento no trabalho, evidenciando a forma como o trabalho de sujeitos que atuam na segurança pública é vivenciada, que é de relevância para toda a sociedade, bem como a discussão sobre o bem-estar no trabalho e a elaboração de políticas públicas nessa direção.
Descrição
Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Psicologia e Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
Palavras-chave
Saúde Ocupacional, Polícia, Operações especiais, Bem-Estar Psicológico, Mobilização subjetiva, [en] Occupational Health, [en] Police, [en] Psychological Well-Being
Citação