Perfil demográfico e prevalência de ansiedade no paciente com esclerose múltipla no Brasil durante a pandemia de COVID-19

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2021
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Wagner Wessfll
Resumo
INTRODUÇÃO: A COVID-19 afetou as regiões brasileiras em tempo e formas diferentes. Sendo um país continental a diferença na ação da COVID-19 pode afetar os pacientes com esclerose múltipla de forma diferente. Até este momento, pouca informação está disponível sobre a incidência de ansiedade em pacientes com esclerose múltipla durante a pandemia da doença de coronavírus 2019 (COVID-19) no Brasil. OBJETIVO: Verificar a prevalência do transtorno de ansiedade em pacientes com esclerose múltipla durante a pandemia de COVID-19. METODOLOGIA: Este estudo observacional foi baseado em um questionário online conduzido entre primeiro e 31 de agosto de 2020 e respondido pelos pacientes com esclerose múltipla que vivem nas cinco diferentes regiões brasileiras. RESULTADOS: Quatrocentos e trinta e seis pacientes com esclerose múltipla participaram do estudo, sendo a maioria mulheres (80.7%), com idades entre 20 e 30 anos. 72.7% dos sujeitos apresentaram algum nível de ansiedade, mais prevalente em mulheres (19%) e pacientes com nível de escolaridade menor que ensino médio completo (25%). Não houve diferença significativa quando consideradas as diferentes regiões brasileiras (p=0.079). CONCLUSÃO: O transtorno de ansiedade teve uma alta prevalência em pacientes brasileiros com esclerose múltipla, mas com mesmo comportamento em todas as regiões do país. Dessa forma, sugerimos que as políticas publicas de saúde mental devem alcançar todo o país de forma igualitária.
Descrição
Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
Palavras-chave
Esclerose Múltipla, Ansiedade, COVID-19, Qualidade de Vida, [en] Multiple Sclerosis, [en] Anxiety, [en] Quality of Life
Citação