Mensuração de sintomas de ansiedade e de depressão pré e pós-fonoterapia em pacientes com alterações vocais

dc.contributor.advisorCassol, Mauriceiapt_BR
dc.contributor.authorMartinez, Chenia Caldeira
dc.date.accessioned2016-04-22T13:29:04Z
dc.date.accessioned2023-10-09T13:51:07Z
dc.date.available2016-04-22T13:29:04Z
dc.date.available2023-10-09T13:51:07Z
dc.date.date-insert2016-04-22
dc.date.issued2013
dc.descriptionDissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.pt_BR
dc.description.abstractEstudos na literatura descrevem a interrelação entre a produção da voz e o estado emocional. Em oposição, existem poucos estudos clínicos que analisem os sintomas de ansiedade e de depressão em pacientes disfônicos. O objetivo deste estudo foi mensurar a qualidade vocal e os sintomas de ansiedade e de depressão pré e pós-fonoterapia em pacientes com disfonia. Trata-se de um ensaio clínico não controlado que avaliou pacientes disfônicos em um Ambulatório de Fonoaudiologia de um Hospital do sul do Brasil. A análise estatística foi realizada por meio de estatística descritiva e pelos testes Mann-Whitney, Wilcoxon e Correlação de Pearson, assumindo-se nível de significância máximo de 5% (p≤0,05), pelo Programa SPSS 16.0. Todos os pacientes foram avaliados por um otorrinolaringologista para diagnóstico de alteração laríngea previamente. A análise perceptivo-auditiva da voz (Escala GRBASI) e a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS) foram os instrumentos utilizados por este estudo nos períodos pré e pós-fonoterapia. Referente à fonoterapia, foram utilizados os seguintes métodos terapêuticos: atividades de orientação, psicodinâmica e treinamento vocal, com o uso de técnicas e exercícios com intuito de favorecer o uso satisfatório da voz e da comunicação humana. Estas intervenções terapêuticas foram adaptadas e customizadas à personalidade e à condição clínica do paciente. Dos 68 pacientes incluídos, não houve perdas ou exclusões. Destes, 23 (33,82%) eram homens, com idade média de 49 anos (desvio padrão de 19,14). O número de sessões de fonoterapia variou conforme o caso, apresentando média de 10,31 (desvio padrão de 5,32). A prevalência dos sintomas de ansiedade foi de 39,7% em mulheres e 14,7% em homens. Quanto aos sintomas de depressão, obteve-se 20,59% em mulheres e 11,76% em homens. As comparações entre encaminhamento psicológico ou psiquiátrico e idade evidenciaram significância estatística (p=0,02), demonstrando que jovens foram mais referenciados às especialidades por suspeita de serem casos clínicos em potencial. As comparações entre parâmetros vocais e escores da HADS nos períodos pré e pós-fonoterapia apresentaram diferença estatisticamente significativa em todos os parâmetros, indicando que a fonoterapia melhora a qualidade vocal e reduz os sintomas de ansiedade e de depressão. Atribui-se a redução destes sintomas aos efeitos do encaminhamento à Psicologia e Psiquiatria, ao relaxamento e motivação promovidos pelas técnicas da fonoterapia e à mudança do comportamento do paciente frente aos cuidados de saúde. Os achados indicam elevado número de disfônicos com sintomas de ansiedade e depressão, com melhora da qualidade vocal e redução destes sintomas após fonoterapia da voz. Destaca-se a necessidade de realização de ensaios controlados na área e a importância de intervenções interdisciplinares, principalmente entre profissionais da voz, Psicologia e Psiquiatria, para o atendimento completo do indivíduo com disfoniapt_BR
dc.description.abstract-enStudies in literature describe the relationship between voice production and emotional state. In contrast, there are few clinical trials that analyze anxiety and depression symptoms in patients with dysphonia. The purpose of this study was to measure voice quality, anxiety and depression symptoms before and after voice therapy in patients with dysphonia. It is an uncontrolled clinical trial which assessed dysphonic patients in a Voice Therapy Ambulatory from a Southern Brazilian Hospital Statistical analysis was performed using descriptive statistics and the Mann Whitney, Wilcoxon and Pearson Correlation tests, assuming maximum significance level of 5% (p ≤ 0.05) by SPSS 16.0 program. All patients were evaluated by an otolaryngologist for laryngeal disorder diagnosis previously. Auditory-perceptive assessment of voice (GRBASI scale ) and the Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS) were the instruments used in this study before and after therapy. Regarding to voice therapy, it were used the following methods: guidance activities, psychodynamic and voice training, using techniques and exercises in order to facilitate the satisfactory use of voice and the human communication activities. These therapeutic interventions were adjusted and customized to patients' personality and individual clinical condition. Of 68 patients included, there were no losses or exclusions. Of these, 23 (33,82%) were men with a mean age of 49 years (standard deviation of 19,14). The number of voice therapy sessions varied as appropriate, with a mean of 10,31 (standard deviation of 5,32). The prevalence of anxiety symptoms were 39,7% in women and 14,7% in men. Concerning to depression symptoms were obtained prevalence of 20,59% in women and 11,76% in men. Comparisons among psychological or psychiatric referral and age evinced statistical significance (p=0,02), demonstrating that young participants were more referred to these specialties due to suspicion of being potential clinical cases. Comparisons among voice parameters and HADS scores before and after voice therapy had statistically significant differences in all parameters, indicating that voice therapy improves voice quality and reduces anxiety and depression symptoms. It is assigned the reduction of these symptoms to the effects of referral to Psychology and Psychiatry, to the relaxing and motivation techniques promoted by voice therapy and to the patients' behavior change due to health care. The findings indicate a high number of dysphonic patients with anxiety and depression symptoms, with improvement of voice quality and reduction of these symptoms after voice therapy. It is highlighted the necessity of conducting controlled trials in the area and the importance of interdisciplinary interventions, especially among voice professionals, Psychology and Psychiatry, to the complete care of the individual with dysphonia.en
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufcspa.edu.br/handle/123456789/138
dc.language.isootherpt_BR
dc.relation.requiresAdobe Readerpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto Imediato*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/*
dc.subjectFonoaudiologiapt_BR
dc.subjectAnsiedadept_BR
dc.subjectDepressãopt_BR
dc.subjectFonoterapiapt_BR
dc.subjectDistúrbios da Vozpt_BR
dc.subjectDisfoniapt_BR
dc.subject[en] Speech, Language and Hearing Sciencesen
dc.subject[en] Anxietyen
dc.subject[en] Depressionen
dc.subject[en] Speech Therapyen
dc.subject[en] Voice Disordersen
dc.subject[en] Dysphoniaen
dc.titleMensuração de sintomas de ansiedade e de depressão pré e pós-fonoterapia em pacientes com alterações vocaispt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
[DISSERTAÇÃO] Martinez, Chenia Caldeira
Tamanho:
1 MB
Formato:
Unknown data format
Descrição:
Texto completo
Licença do Pacote
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
1.71 KB
Formato:
Plain Text
Descrição: