Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufcspa.edu.br/jspui/handle/123456789/846
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[DISSERTAÇÃO] Teodózio, Andressa MilczarckTexto parcial1,16 MBAdobe PDFView/Open
Title: Luto materno decorrente de perda gestacional e as percepções e sentimentos maternos sobre a gestação e o bebê subsequente à perda
Authors: Teodózio, Andressa Milczarck
metadata.dc.contributor.advisor: Levandowski, Daniela Centenaro
Issue Date: 2019
Keywords: Luto
Gestação
Relações Materno-Fetais
[en] Bereavement
[en] Pregnancy
[en] Maternal-Fetal Relations
Abstract: O processo de luto decorrente de uma perda gestacional (PG) tem sido descrito na literatura como uma vivência específica, complexa e pouco reconhecida socialmente, que pode influenciar na saúde mental materna e repercutir em outros momentos da vida, como na gestação e maternidade subsequentes. Essa dissertação está composta por dois estudos empíricos qualitativos, com o objetivo de investigar as repercussões e particularidades do processo de luto decorrente de PG (Estudo 1) e identificar e compreender as percepções e sentimentos maternos sobre a gestação e o bebê subsequente à PG (Estudo 2). Participaram dos dois estudos quatro mulheres (18 a 29 anos) com história de pelo menos uma PG nos últimos cinco anos e que tiveram um bebê após a perda. Foram aplicados o Questionário de Dados SócioDemográficos e Clínicos, o Questionário sobre Vivências de Perdas, o Prolonged Grief Disorder, o Brief Symptom Inventory e a Entrevista sobre Vivência de Luto Materno e Experiência da Maternidade Atual. No Estudo 1, cujo delineamento foi de estudo de casos múltiplos, os casos foram analisados por meio da estratégia de proposições teóricas, com base na perspectiva psicanalítica, e, posteriormente, de síntese de casos cruzados (Yin, 2005), para identificar semelhanças e particularidades entre os casos. Foi possível constatar que as repercussões físicas da PG contribuíram para a inscrição e a elaboração psíquica dessa vivência. Como particularidades do processo de luto, verificou-se que, para essas participantes, este foi permeado por elementos de ordem narcísica, devido aos efeitos físicos da perda em consonância ao investimento psíquico direcionado ao bebê idealizado na gestação; melancólica, pelo caráter narcísico e indiferenciado que a PG assumiu; e traumática, devido à sobrecarga não nomeada que ultrapassou a capacidade psíquica de representação e elaboração no primeiro momento após a perda. Já no Estudo 2, de caráter exploratório-descritivo e transversal, cujos resultados foram submetido à análise temática (Braun & Clarke, 2006; Braun, Clarke, Hayfield, & Terry, 2019), verificou-se repercussões da PG nos sentimentos maternos sobre a gestação subsequente, tendo sido identificados medo de outra PG, ambivalência frente à gestação e angústia frente ao parto e nascimento. Também foram identificadas repercussões da PG nas percepções e sentimentos maternos sobre o bebê subsequente após o seu nascimento, evidenciando-se a idealização de suas características e da relação mãe-bebê, assim como medos e preocupações com o bebê, que geraram comportamentos de superproteção e hipervigilância. Também se observou o posicionamento do novo bebê como substituto do bebê falecido, por exemplo, na escolha do mesmo nome para ambos. Esses aspectos apontam para a importância de ações de cuidado e prevenção em relação à saúde mental materna e do binômio mãe-bebê subsequente à PG, indicando a necessidade de atenção dos profissionais de saúde para o contexto e os sentimentos que as mulheres vivenciam após uma PG, no intuito de auxiliar na vinculação pré e pós-natal, o que, por sua vez, pode impactar positivamente no desenvolvimento emocional do bebê.
metadata.dc.description.abstract-en: The grief process caused by a pregnancy loss (PL) has been described in the literature as a specific, complex and poorly recognized social experience that can influence maternal mental health and affect other moments of life, such as a subsequent pregnancy and maternity. This dissertation is composed of two qualitative empirical studies, aiming to investigate the repercussions and particularities of the grief process caused by a PL (Study 1) and to identify and understand maternal perceptions and feelings about pregnancy and the baby following a PL (Study 2). Four women (18 to 29 years) participated in both studies with the occurrence of at least one PL in the last five years and who had a baby after the loss. The Socio-Demographic and Clinical Data Questionnaire, the Questionnaire of Loss Experiences, the Prolonged Grief Disorder, the Brief Symptom Inventory and the Interview about Pregnancy Loss and Current Motherhood Experience were applied. In Study 1, which was based on a multiple case study, the cases were analyzed using the strategy of theoretical propositions, based on the psychoanalytical perspective, and, subsequently, cross cases synthesis (Yin, 2005), to identify similarities and particularities between the cases. It was possible to verify that the physical repercussions of a PL contributed to the inscription and the psychic elaboration of this experience. As particularities of the grief process, it was found that for these participants it was permeated by narcissistic elements, due to the physical effects of loss in line with the psychic investment directed to the idealized baby in pregnancy; melancholic, for the narcissistic and undifferentiated character that PL assumed; and traumatic, due to the unnamed overload that surpassed the psychic capacity of representation and elaboration at the first moment after the loss. In Study 2, exploratory-descriptive and cross-sectional, whose results were subjected to thematic analysis (Braun & Clarke, 2006; Braun, Clarke, Hayfield, & Terry, 2019), there were repercussions of PL on maternal feelings about a subsequent pregnancy, and fear another PL, ambivalence towards pregnancy and distress at delivery and childbirth were identified. The repercussions of PL on maternal perceptions and feelings about the subsequent baby after birth were also identified, highlighting the idealization of their characteristics and the mother-baby relationship, as well as fears and preoccupations about the baby, which generated overprotective and hypervigilance behaviors. It was also noted the positioning of the new baby as a replacement for the deceased baby, for example, in choosing the same name for both. These aspects point to the importance of care and prevention in relation to maternal mental health and the mother-baby binomial subsequent to PL, indicating the need for health professional’s attention to the context and feelings women experience after PL, in order to assist in prenatal and postnatal attachment, which, in turn, can positively impact the emotional development of the baby.
Description: Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Psicologia e Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
metadata.dc.rights: Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
metadata.dc.relation.requires: Adobe Reader
metadata.dc.date.date-insert: 2019-09-24
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGPsico - Dissertações



Creative Commons
This item is licensed under a Creative Commons License