Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufcspa.edu.br/jspui/handle/123456789/525
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[DISSERTAÇÃO] Lysakowski, SimoneTexto integral3,34 MBAdobe PDFView/Open
Title: Doação de órgãos e transplantes: o uso da educação à distância (EaD) para os profissionais da saúde
Authors: Lysakowski, Simone
metadata.dc.contributor.advisor: Sudbrack, Aline Winter
metadata.dc.contributor.advisor-co: Caregnato, Rita Catalina Aquino
Issue Date: 2016
Keywords: Educação a Distância
Obtenção de Tecidos e Órgãos
Transplante de Órgãos
[en] Education, Distance
[en] Tissue and Organ Procurement
[en] Organ Transplantation
Abstract: INTRODUÇÃO: Atualmente o transplante é a única alternativas terapêuticas para o tratamento de algumas doenças, entretanto, ele não é realizado se não houver um doador. A doação e o transplante de órgãos acabam tornando-se temas polêmicos, onde a escassez de informações e esclarecimentos contribui para o aumento de dúvidas acerca do tema. A busca de conhecimento, por parte dos profissionais da saúde, é essencial para mudar esse cenário, onde esses especialistas atuam como multiplicadores de informações, podendo usar o Ensino à Distância (EaD) como aliado na busca de ensino e aprendizagem. OBJETIVO: Conhecer a experiência e o perfil de médicos e enfermeiros que trabalham em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou em Emergências do Rio Grande do Sul (RS), envolvidos no processo de doação e transplante de órgãos, antes e após a realização de um curso EaD para qualificação e formação sobre o tema. MÉTODO: Pesquisa de intervenção educativa com abordagem mista. Foi elaborado e aplicado um curso de extensão no formato EaD, com a primeira e última aula presenciais, em parceria com Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e a Central de Transplantes do RS, buscando capacitar e qualificar os profissionais envolvidos no processo de doação e transplante. A amostra foi constituída por 30 profissionais. RESULTADOS: Quanto ao perfil da amostra, 80% eram enfermeiros e 20% médicos, sendo 87% do sexo feminino. Sobre os critérios exigidos para ingresso, apenas um não tinha o tempo de formação estabelecido, e 19% não atuavam em UTI e Emergência. Quanto ao formato do curso, 55% apontaram indisponibilidade de realizar o curso de forma presencial. Dos alunos que preencheram o questionário para avaliação do curso, 95% responderam que o modelo semipresencial facilitou o acompanhamento e a conclusão dos estudos, e 100% voltaria a fazer outro curso no mesmo formato de ensino. Quando avaliado diversos aspectos do curso, todos registraram estar satisfeitos ou muito satisfeitos. Os questionários pós-teste mostraram média de notas melhores após os estudos, quando comparado às notas dos questionários pré-teste. Nas atividades avaliativas, compostas pelas atividades de aprendizagem (AP) e atividade de avaliação individual (AA), nenhum aluno teve nota inferior a 7,0. Ao relacionar à idade dos discentes com as notas, não houve correlação significativa, exceto na atividade de aprendizagem da aula VI, quando os estudantes mais jovens foram os que obtiveram as maiores notas (teste de correlação de Pearson; r=-551; p-valor=0,012). A relação entre as notas e a formação complementar não demostrou significância, devido ao pequeno número de alunos que não tinha formação adicional à graduação. Também não foram significativas as médias de notas dos alunos que atuavam nas Organizações de Procura de Órgãos (OPO) ou Comissões Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) quando comparadas com aqueles que não trabalhavam nessa área, exceto na atividade de aprendizagem da aula VIII, que apresentou melhores notas para os atuantes. Nos cinco grupos focais realizados com a proposta de expressar e apresentar imagens que demonstrassem o que era vida e o que era morte, os integrantes apontaram a vida como: algo difícil de expressar, a continuidade, renovação/ciclos, as escolhas e coisas boas que acontecem. Sobre a morte os grupos trouxeram: o medo do desconhecido e sentimentos ruins, o final de um ciclo ou uma passagem, a morte para uns e o recomeço para outros, a participação do profissional da saúde nos ciclos da vida e morte, a dor da perda ou o sentimento de perda e a relação entre a vida e a morte. CONCLUSÃO: Com o planejamento, estruturação e implementação do curso, foi oportunizada a qualificação e formação dos profissionais inscritos, tornando-se um importante momento para a reflexão do fazer e aprimoramento das ações frente a temática doação e transplantes. As atividades pré e pós-teste formam valorosas ferramentas, que apontaram melhores notas após o acompanhamento e realização dos estudos e atividades propostas durante o curso.
metadata.dc.description.abstract-en: INTRODUCTION: Nowadays transplantation is the only therapeutic alternative for the treatment of certain diseases, however, it is not performed if there is a lack of a donor. Donation and transplantation of organs end up becoming polemic issues, where the lack of information and explanation contributes to increasing doubts about the topic. The pursuit of knowledge by health professionals is essential to changing this scenario, where these experts act as multipliers of information and can use the Distance Learning Centre (DLC) as an ally in the pursuit of teaching and learning. OBJECTIVE: To understand the experience and profile of doctors and nurses who work in the Intensive Care Unit (ICU) or Emergency units in Rio Grande do Sul (RS), who are involved in the donation and organ transplantation processes before and after performing a distance education course for professional qualification and training on the subject. METHOD: Educational intervention research with mixed approach. An extension course was developed and implemented in distance education format, with the first and last classes in the traditional, on-campus classroom, in partnership with the Federal University of Health Sciences of Porto Alegre (UFCSPA) and the Center of Transplants of RS, seeking to train and qualify the professionals involved in donation and transplantation processes. The sample consisted of 30 professionals. RESULTS: Regarding the profile of the sample, 80% were nurses and 20% doctors, where 87% were female. About the admission criteria, only one did not have the required time training, and 19% did not work in ICU or Emergency. As for the format of the course, 55% indicated unwillingness to hold the course in person. Regarding to the students who completed the questionnaire for evaluation of the course, 95% answered that the mixed model (distance education and traditional on-campus) facilitated the monitoring and completion of studies, and 100% were scheduled to take another course in the same teaching format. When assessed various aspects of the course, all of them reported being satisfied or very satisfied. The post-test questionnaires showed improved grades averages after the studies, when compared to the scores of pre-test questionnaires. In the evaluation activities, composed of learning activities (LA) and individual assessment activity (AA), no student had score below 7.0. By relating the age of the students with grades, there was no significant correlation except in class learning activity VI, when the younger students obtained the highest scores (Pearson correlation test, r = -551; p value = 0.012). The relationship between grades and additional training did not show significance due to the small number of students who had no additional training graduation. There were also no significant meaning scores of the students who worked on the Organ Procurement Organizations (OPO) or Intra-hospital committees Donation of Organs and Tissues for Transplantation (CIHDOTT) when compared to those who did not work in this area, except in the activity of class learning VIII, which showed better grades for acting professionals. In the five focus groups conducted with the proposal to express and present images that demonstrate what life is and what is death, the members showed life as something difficult to express, the continuity, renewal / cycles, the choices and good things that happen. The death groups brought the fear of the unknown and bad feelings, the end of a cycle or a passage, death for some and the beginning for others, the participation of health professionals in the cycles of life and death, the pain of a loss, or the sense of a loss and the relationship between life and death. CONCLUSION: The planning, structuring and implementation of the course nurtured the professional qualification and training of enrolled professionals, becoming an important opportunity for reflection of doing and improvement of actions across the donation and transplantation thematic. The pre- and post-test activities form were valuable tools, which showed better grades after monitoring and carrying out of the studies and activities proposed during the course.
Description: Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
metadata.dc.rights: Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
metadata.dc.relation.requires: Adobe Reader
metadata.dc.date.date-insert: 2017-09-11
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGENSAU - Dissertações



Creative Commons
This item is licensed under a Creative Commons License