Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufcspa.edu.br/jspui/handle/123456789/502
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[DISSERTAÇÃO] Maia, Gabriela NunesTexto integral3,09 MBAdobe PDFView/Open
Title: Sintomas psicofuncionais em bebês de mães jovens: relação com características maternas e contextuais
Authors: Maia, Gabriela Nunes
metadata.dc.contributor.advisor: Levandowski, Daniela Centenaro
Issue Date: 2017
Keywords: Sintomas Psicofuncionais
Maternidade Jovem
Relação Mãe-Filho
Saúde Mental Maternal
Apoio Social
[en] Parenting
[en] Mother-Child Relations
[en] Mental Health
[en] Social Support
Abstract: Esse estudo objetivou avaliar e identificar sintomas psicofuncionais (SP) em bebês (seis a 18 meses) de mães jovens (14 a 24 anos), verificando a ocorrência conforme os tipos, de acordo com o instrumento Symptom CheckList (ROBERT-TISSOT ET AL., 1989). Além disso, buscaram-se examinar possíveis diferenças e, também, o papel preditorde aspectos da saúde mental materna (ansiedade – BAI, depressão – MINI-Plus, BDI-II), percepção de ajustamento conjugal (R-DAS), da qualidade do vínculo parental (PBI, tanto em relação ao pai quanto à mãe), do suporte familiar (IPSF) e dos dados sociodemográficos, considerando-se tanto a presença quanto a ausência de sintomas nos bebês. Assim, realizaram-se dois trabalhos: um com caráter quantitativo e outro qualitativo. No primeiro, abrangeu díades com ou sem SP. Os principais achados foram a correlação entre o EPDS e sintomas de medo e de alergia; episódio depressivo maior (MINI-Plus), fator afetivoconsistente (IPSF) e cuidado pai (PBI pai) e sintomas de comportamento; estado civil materno e sintomas de digestão e de respiração e, por fim, doenças físicas da mãe e episódio depressivo maior (MINI-Plus) e sintomas de alimentação. Além disso, algumas variáveis mostraram-se preditor significativos de sintomas dos bebês, o destaque é o EPDS para sintomas de medos e de alergias. Tais achados refletem a riqueza da configuração da maternidade jovem associada à presença de SP, uma vez que perpassa por aspectos subjetivos da dupla, constituição fisico-biológico, características do ambiente e das condições socioeconômicas. O segundo artigo, realizado com as díades em que o bebê apresentava pelo menos um tipo de SP. Encontraram-se dois eixos de entendimento da maternidade jovem: Apoio Social e Construção da Maternidade. O Apoio Social apareceu na figura do companheiro/pai do bebê, da família e da equipe de saúde. Enquanto que na Construção da Maternidade as ideias principais das falas das mães jovens se dividiram em duas linhas de entendimento: Identidade Materna (tornar-se mãe, mudanças, modelos maternos) e Vivências da Maternidade (satisfação, dificuldades e preocupações). Constatou-se a complexidade da experiência da maternidade jovem (saúde mental materna, relacionamento conjugal e familiar, condições socioeconômicas) que, juntamente com as características únicas do seu bebê, representam um momento de transformação e de uma adaptação constante. O apoio social adequado, não apenas prático, mas também emocional, representa um fator de proteção que impacta diferente para cada mãe no processo de construção da maternidade. Estudos futuros, com variados delineamentos metodológicos, precisam explorar os motivos de surgimento e de permanência de SP em bebê de mães jovens para que intervenções precoces possam ser implementadas a fim de impedir que o crescimento e o desenvolvimento desses bebês sejam prejudicados e/ou abalados.
metadata.dc.description.abstract-en: This study aimed to evaluate and identify psychofunctional symptoms (PS) in infants (six to 18 months) of young mothers (14 to 24 years old), according to the Symptom CheckList (ROBERT-TISSOT ET AL., 1989). In addition, we sought to examine possible differences and the predictive role of aspects of maternal mental health (anxiety - BAI, depression - MINI-Plus, BDI-II), perception of marital adjustment (PBI, in relation to both the father and mother), family support (IPSF) and social-demographic data, considering both the presence and the absence of symptoms in the infants. Thus, two works were carried out: one with a quantitative and another qualitative character. In the first, performed with or without PS. The main findings refer to the predictive character of maternal variables, such as depressive symptoms (EPDS) for the presence of fear and allergy; demonstration of affection among family members (affectiveconsistent factor, IPSF) and parental care for the young mother (PBI) regarding behavioral symptoms; maternal marital status and symptoms of digestion and breathing; and, finally, maternal physical illnesses and eating symptoms. These findings reflect the richness of the configuration of the young motherhood associated with the presence of PS, since it covers the subjective aspects of the couple, physical-biological constitution, characteristics of the environment and socioeconomic conditions. Thus, focusing on maternal mental health the importance of an extended evaluation of PS in infants of young mothers is reinforced. The second article covered dyads in which the infant had at least one type of PS. Through analysis of qualitative content, two axes of understanding of the young motherhood: Social Support and Construction of Maternity. Social Support appeared in the picture of the baby's partner / father, the family and the health team. Whereas in the Maternity Construction the main ideas of the young mothers' speeches were divided into two lines of understanding: Maternal Identity (becoming a mother, changes, and maternal models) and Maternity Experiences (satisfaction, difficulties and preoccupations with the infant and Being mother). The complexity of the experience of young motherhood were verified (maternal mental health, marital and family relationships, socioeconomic conditions), together with the unique characteristics of her baby, is a moment of transformation and constant adaptation. Adequate social support, not only practical, but also emotional, represents a protective factor that impact differently for each mother in the process of building motherhood. The way the young mother experiences this moment of transition reflects on her baby through PS.Longitudinal studies may support the understanding of the emergence and permanence of PS in the infant of young mothers. So, more accurate early interventions can be implemented in order to prevent PS and promote health throughout the growth and development of these infants.
metadata.dc.rights: Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
metadata.dc.relation.requires: Adobe Reader
metadata.dc.date.date-insert: 2017-07-31
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGCS - Dissertações



Creative Commons
This item is licensed under a Creative Commons License