Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufcspa.edu.br/jspui/handle/123456789/495
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[DISSERTAÇÃO] Andrade, Aline Marcelino deTexto integral4,8 MBAdobe PDFView/Open
Title: Efeito de uma dieta hiperlipídica associada à administração de ômega-3 sobre marcadores de neuroinflamação e memória em ratos Wistar
Authors: Andrade, Aline Marcelino de
metadata.dc.contributor.advisor: Guedes, Renata Padilha
metadata.dc.contributor.advisor-co: Giovenardi, Márcia
Issue Date: 2016
Keywords: Ácidos Graxos Ômega-3
Memória
Ratos Wistar
Neuroinflamação
Obesidade
Teste de Reconhecimento de Objetos
[en] Fatty Acids, Omega-3
[en] Memory
[en] Rats, Wistar
[en] Obesity
Abstract: A obesidade é considerada uma doença crônica e multifatorial, que está se tornando uma epidemia mundial e refletindo negativamente sobre a saúde da população. Além de estar associada a doenças cardiovasculares, pode levar a alterações metabólicas no sistema nervoso central, podendo ser um fator que predispõe a diversas doenças neurológicas. Entretanto, os mecanismos responsáveis pela maior suscetibilidade dos indivíduos obesos à déficits cognitivos, por exemplo, não são bem conhecidos. O ômega-3 é um ácido graxo poliinsaturado essencial que desempenha um importante papel antiinflamatório. Contudo, sua função neuroprotetora ainda é questionada. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi avaliar se a dieta hiperlipídica e o tratamento com ômega-3 interferem em parâmetros comportamentais relacionados à memória e marcadores de neuroinflamação dos animais. Quarenta ratos Wistar machos foram divididos em quatro grupos: dieta padrão (DP); dieta padrão + ômega-3 (DP+O); dieta hiperlipídica (DH); dieta hiperlipídica + ômega-3 (DH+O). O período de dieta foi de 20 semanas. Após a 16ª semana de dieta, iniciou-se a suplementação com ômega-3. Ao final do período experimental, foram avaliados o ganho de peso, o peso de gordura visceral, a glicemia de jejum e os níveis plasmáticos de insulina. A memória dos animais foi avaliada pelo teste de reconhecimento de objetos. Além disso, foi avaliada a imunorreatividade ao GFAP no hipocampo e no córtex cerebral dos animais estudados e a expressão gênica das citocinas fator de necrose tumoral-α (TNF-α), interleucina-6 (IL-6) e interleucina-10 (IL-10) no córtex cerebral. A DH aumentou significativamente o peso corporal dos animais (p<0,0001) e o ômega-3 não modificou o ganho de peso total. Contudo, os animais tratados com ômega-3 apresentaram uma menor quantidade de gordura visceral (p=0,0015) e melhor sensibilidade à insulina (p=0,0154). No teste de reconhecimento de objetos, os animais alimentados com dieta hiperlipídica não apresentaram diferenças significativas no tempo de exploração do objeto novo em relação ao objeto conhecido (DH p=0,2126, DH+O p=0,6635), demostrando que a obesidade pode causar comprometimento da memória de longo prazo. Encontramos resultados significativos também no córtex cerebral do grupo DH, demonstrando que a obesidade pode levar à ativação astrocitária (p=0,0007). Encontramos um aumento significativo na expressão gênica das citocinas pró-inflamatórias IL-6 (p=0,0352) e TNF-α (p=0,0016) no grupo DH. Assim, a suplementação de ácidos graxos ômega-3 após DH foi capaz de melhorar a sensibilidade à insulina, diminuir a adiposidade visceral e diminuir o perfil neuroinflamatório. Contudo, a suplementação com ômega-3 não foi suficiente para reverter o déficit de memória causado pela DH, embora tenha demonstrado um importante papel na diminuição da neuroinflamação. Assim, os ácidos graxos da família ômega-3 podem exercer um importante papel no sistema nervoso central, impedindo a progressão da neuroinflamação na obesidade.
metadata.dc.description.abstract-en: Obesity is a chronic and multifactorial disease. Nowadays, it is becoming a global epidemic, which affect negatively population's health. Besides being associated with cardiovascular diseases, it can lead to metabolic alterations in the central nervous system, and may be a risk factor that predisposes to several neurological diseases. However, the underlying mechanisms of such relationship are not well known. Omega-3 is an essential polyunsaturated fatty acid that plays an important anti-inflammatory role, but its neuroprotective function is still questioned. In this context, the objective of this study was to evaluate if a high-fat diet and omega-3 supplementation may affect long-term memory and neuroinflammation markers in rats. Forty male Wistar rats were divided into four groups: standard diet (SD); standard diet + omega-3 (SD+O); high-fat diet (HFD); high-fat diet + omega-3 (HFD+O). Diet administration was performed for 20 weeks. Omega-3 supplementation started at the 16th week of diet. At the end of the experimental period, visceral fat weight, fasting plasma glucose and plasma insulin levels were analysed. The animals' memory was evaluated using the object recognition test. In addition, we evaluated GFAP immunoreactivity in the hippocampus and in the cerebral cortex of the animals. Gene expression of tumor necrosis factor-α (TNF-α), interleukin-6 (IL-6) and interleukin-10 (IL-10) in the cerebral cortex was also analysed. HFD significantly increased the body weight of the animals and omega-3 did not modify the total weight gain (p<0.0001). However, the animals treated with omega-3 had a lower amount of visceral fat (p=0.0015) and better insulin sensitivity (p=0,0154). In the object recognition test, animals fed a high-fat diet did not present significant differences in the time of exploration of the new object in relation to the old one (HFD p=0.2126, HFD+O p=0.6635), demonstrating that obesity can cause long-term memory impairment. Omega-3 supplementation did not improve recognition memory. We found significant results in GFAP immunoreactivity in the cerebral cortex of the HFD group, demonstrating that obesity can lead to astrocytic activation (p=0.0007). We also found a significant increase in gene expression of proinflammatory cytokines IL-6 (p=0.0352) and TNF-α (p=0.0016) in the HFD group. Thus, supplementation of omega-3 fatty acids after HFD was able to improve insulin sensitivity, decrease visceral adiposity and decrease neuroinflammatory profile. Our results demonstrate an important metabolic role of omega-3 by improving insulin sensitivity and reducing visceral adiposity. However, omega-3 supplementation was not sufficient to reverse the memory deficit caused by HFD, although it has been shown to play an important role in reducing the neuroinflammatory profile. Therefore, omega-3 fatty acids may play an important role in the central nervous system, preventing the progression of neuroinflammation in obesity.
metadata.dc.rights: Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
metadata.dc.relation.requires: Adobe Reader
metadata.dc.date.date-insert: 2017-07-31
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGCS - Dissertações



Creative Commons
This item is licensed under a Creative Commons License