Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufcspa.edu.br/jspui/handle/123456789/368
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[DISSERTAÇÃO] Oliveira, Francine Hehn deTexto integral20,02 MBAdobe PDFView/Open
Title: Alterações neurodegenerativas no tronco encefálico e bulbo olfatório em indivíduos acima de 50 anos
Authors: Oliveira, Francine Hehn de
metadata.dc.contributor.advisor: Hilbig, Arlete
metadata.dc.contributor.advisor-co: Fernandez, Liana Lisboa
Issue Date: 2014
Keywords: Doenças Neurodegenerativas
Doença de Parkinson
Doença de Alzheimer
Tronco Encefálico
Bulbo Olfatório
[en] Neurodegenerative Diseases
[en] Parkinson Disease
[en] Alzheimer Disease
[en] Brain Stem
[en] Olfactory Bulb
Abstract: Introdução: Com o aumento da expectativa de vida no Brasil e no mundo, crescem as preocupações com as doenças mais prevalentes entre os idosos, dentre elas as doenças neurodegenerativas como a doença de Alzheimer (DA) e a doença de Parkinson (DP). Sabe-se que os depósitos proteicos relacionados com o desenvolvimento destas doenças podem preceder a fase sintomática em anos. A proteína tau é de particular interesse, uma vez que parece ser encontrada no tronco encefálico e bulbo olfatório muito antes de atingir o córtex límbico, quando ocorrem os primeiros sintomas. Objetivos: Este estudo tem como objetivo principal a criação de um protocolo local e de um banco de encéfalos humanos para o estudo de doenças neurodegenerativas, além da detecção de alterações precoces relacionadas às doenças neurodegenerativas no tronco encefálico e no bulbo olfatório de indivíduos com 50 anos ou mais. Material e Métodos: Trata-se de uma amostra coletada por conveniência e sob consentimento informado. Informações clínicas dos doadores foram obtidas junto aos familiares por meio de questionário para rastreamento de declínio cognitivo (IQCODE) e um segundo questionário, personalizado, para avaliar alterações motoras. Os encéfalos foram fixados em solução de formalina a 10% por 4 semanas, avaliados macroscopicamente e cortados conforme protocolo internacional, amostrando todas as áreas encefálicas incluindo as regiões em estudo. Os cortes foram corados pela coloração de Hematoxilina-eosina e imunocorados para os anticorpos anti-beta-amiloide, anti-tau e anti-alfasinucleína. Resultados: A média de idade entre os doadores foi de 72,07 anos (±15,79). Os indivíduos demenciados correspondem a 57% da amostra e a média do IQCODE destes é de 3,72, enquanto para os não-demenciados, é de 2,74, havendo diferença estatisticamente significativa entre os dois grupos para esta variável. Dos 14 encéfalos coletados neste estudo, a proteína tau foi encontrada, no tronco, em 10 (71,42%). Dos 7 indivíduos que tiveram diagnóstico final de DA, todos apresentavam depósitos de tau em alguma região do tronco encefálico. Conclusão: Existem poucos dados publicados sobre os depósitos proteicos no tronco encefálico e bulbo olfatório de pacientes com diagnóstico de DA, uma vez que as manifestações clínicas ocorrem quando a proteína tau, em associação com a proteína β-amiloide, deposita-se no hipocampo e no córtex entorrinal. Nossos dados estão de acordo com a literatura mais recente, que tem confirmado a presença de proteína tau no tronco encefálico e bulbo olfatório nos estágios mais precoces da DA.
Description: Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Patologia, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
metadata.dc.rights: Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
metadata.dc.relation.requires: Adobe Reader
metadata.dc.date.date-insert: 2016-10-19
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGPAT - Dissertações



Creative Commons
This item is licensed under a Creative Commons License