Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufcspa.edu.br/jspui/handle/123456789/336
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[TESE] Zanolla, Anelise FernandaTexto integral419,15 kBAdobe PDFView/Open
Title: Construção e validação de um questionário de frequência alimentar para pacientes coinfectados pelo vírus da hepatite C e da imunodeficiência humana
Authors: Zanolla, Anelise Fernanda
metadata.dc.contributor.advisor: Tovo, Cristiane Valle
metadata.dc.contributor.advisor-co: Buss, Caroline
Issue Date: 2015
Keywords: Coinfecção
HIV
Hepacivirus
Consumo Alimentar
Inquéritos e Questionários
Validade dos Testes
[en] Coinfection
[en] Food Consumption
[en] Surveys and Questionnaires
[en] Reproducibility of Results
Abstract: Introdução: A coinfecção pelos vírus da hepatite C e da imunodeficiência humana pode alterar o estado nutricional do paciente, ou provocar alterações metabólicas. A avaliação do consumo alimentar pode gerar estratégias para prevenir ou controlar estes desfechos. O questionário de frequência alimentar (QFA) vem sendo utilizado para medir a ingestão habitual, e deve ser construído e validado para a população em estudo. Objetivos: Identificar os itens de consumo mais representativos em uma amostra de pacientes coinfectados por HCV/HIV; descrever a construção e medir a validade relativa do QFA. Métodos: Os alimentos mais representativos foram identificados através da aplicação de múltiplos recordatórios de 24h (R24h) no período de um ano, sendo que aqueles que contribuíram com até 95% de energia e macronutrientes compuseram a lista de alimentos do QFA. A validade foi testada a partir da aplicação de um QFA e três R24h, utilizando-se correlação de Pearson e índice Kappa ponderado, para energia e 19 nutrientes. Resultados: Foram avaliados 118 R24h, em 55 pacientes, para o desenvolvimento da lista de alimentos do QFA. Itens como açúcar refinado, refrigerantes, sucos artificiais em pó tiveram contribuição importante para o consumo de energia e carboidratos. Arroz e feijão foram, também, alimentos frequentemente consumidos. O instrumento foi composto por 75 itens e oito categorias de resposta para frequência de consumo. Caracterizou-se como um QFA quantitativo. A média de ingestão no QFA superestimou a média de ingestão dos R24h. Coeficientes de correlação deatenuados variaram de 0,35 (vitamina B1) a 0,81 (selênio). O índice de concordância variou entre 0,07 (vitamina C) a 0,51 (cálcio). Conclusão: O consumo de alimentos ricos em açúcar caracteriza um padrão alimentar de risco para estes pacientes, visto que apresentam maior chance de desenvolver resistência à insulina/diabetes. O QFA apresentou validade relativa satisfatória para a maioria dos nutrientes, e pode ser utilizado para medir a ingestão alimentar habitual dos pacientes coinfectados, porém a validade para vitaminas B1, C e D deve ser interpretada com cautela.
metadata.dc.description.abstract-en: Introduction: The hepatitis C and human immunodeficiency viruses coinfection may compromise the nutritional status or promote metabolic disorders in the patient. The evaluation of food consumption can generate strategies to prevent or control these outcomes. The food frequency questionnaire (FFQ) has been used to identify habitual food intake, and must be constructed and validated in the research population. Objective: To identify the most representative food items in a sample of HCV/HIV-coinfected patients; describe the construction and measure the relative validity of a FFQ. Methods: The most representative food items were identified through multiple applications of 24-hour dietary recalls (24hDR), during one year. The items contributing to 95% of energy and macronutrients intake composed the food list of the FFQ. The validity was measured by application of one FFQ and three 24hDR, using Pearson's correlation and weighted Kappa index for energy as well as nutrients. Results: One hundred and eighteen 24hDR were evaluated in 55 patients for the construction of the food list of the FFQ. Some items like refined sugar, regular soft drinks and artificial juice had an important contribution to consumption of energy and carbohydrates. Rice and beans were, in the same way, food items frequently consumed. The instrument was developed consisting of 75 food items and eight categories of response to evaluate the frequency of consumption. The FFQ was designed in a quantitative model. The average intake in the FFQ overestimated the average intake of 24hDR. The de-attenuated correlation coefficients ranged from 0.35 (vitamin B1) to 0.81 (selenium). The concordance index ranged from 0.07 (vitamin C) to 0.51 (calcium). Conclusion: Sugar-rich food intake was identified as a risk factor for these patients, because they are more likely to develop insulin resistance/ diabetes. The FFQ showed a satisfactory relative validity for most nutrients, and can be used to measure the habitual dietary intake of coinfected patients, however, the validity for vitamins B1, C and D should be interpreted with caution.
Description: Tese (Doutorado)-Programa de Pós-Graduação em Medicina: Hepatologia, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
metadata.dc.rights: Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
metadata.dc.relation.requires: Adobe Reader
metadata.dc.date.date-insert: 2016-10-18
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:PPGHEP - Teses



Creative Commons
This item is licensed under a Creative Commons License