Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufcspa.edu.br/jspui/handle/123456789/171
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[DISSERTAÇÃO] Feistauer, VanessaTexto integral1,73 MBAdobe PDFView/Open
Title: Variantes em genes relacionados aos sistemas dopaminérgico e serotoninérgico versus padrão de ingestão alimentar e parâmetros de adiposidade em crianças
Authors: Feistauer, Vanessa
metadata.dc.contributor.advisor: Almeida, Silvana de
metadata.dc.contributor.advisor-co: Mattevi, Vanessa Suñé
Issue Date: 2015
Keywords: Obesidade Pediátrica
Dopamina
Serotonina
Polimorfismo Genético
[en] Pediatric Obesity
[en] Dopamine
[en] Serotonin
[en] Polymorphism, Genetic
Abstract: A obesidade infantil é considerada um problema de saúde pública, principalmente em países desenvolvidos e em desenvolvimento. O aumento do consumo de alimentos ricos em gordura e açúcares, associado à redução da atividade física, causam um desbalanço energético que leva ao acumulo excessivo de gordura e, consequentemente, à obesidade. Esses alimentos ricos em gordura e carboidratos são altamente palatáveis, e estimulam uma fome hedônica, ou seja, uma fome relacionada ao prazer de comer, e não relacionada às necessidades calóricas. Os sistemas dopaminérgico e serotoninérgico estão diretamente relacionados ao prazer, apetite e motivação para comer. Entretanto, os indivíduos podem apresentar diferente níveis de sensação de recompensa, através da ingestão alimentar, o que pode conferir diferenças no padrão da ingesta. Portanto, a variabilidade genética dos sistemas dopaminérgico e serotoninérgico, pode estar relacionada às diferentes respostas frente aos alimentos entre indivíduos expostos aos mesmos fatores ambientais. O objetivo do estudo é investigar a associação de variantes nos sistemas dopaminérgico e serotoninérgico com parâmetros de adiposidade e padrão de ingestão alimentar em crianças. O presente estudo é uma coorte prospectiva de 427 crianças que participaram de um estudo randomizado iniciado ao nascimento, na cidade de Porto Alegre. O estado nutricional das crianças, mensurado por dados antropométricos e dietéticos, foi coletado aos 12 meses e aos 2-3 anos de idade. O DNA (Ácido Desoxirribonucleico) extraído de células da mucosa bucal foi analisado para os seguintes polimorfismos através de PCR (Reação em Cadeia da Polimerase) em tempo real, utilizando sondas de hidrólise (Sistema TaqMan): rs4680 (COMT); rs1800497 (DRD2); rs1048953 (SLC6A3); rs2071877, rs2312054 e rs12391221 (SLC6A14); e rs3813928 (HTR2C). O polimorfismo 5-HTTLPR (SLC6A4) foi analisado por PCR convencional seguido de eletroforese em gel de agarose. O genótipo A1/A1 do gene DRD2/ANKK1 foi associado com maior espessura de dobras cutâneas subescapular em Z-score aos 12 meses (p=0,022) e em 2-3 anos (p=0,020) e maior IMC Z-score em 2-3 anos (p=0,009), quando comparados aos portadores do alelo A2. Aos 12 meses, as meninas homozigotas G/G do polimorfismo rs3813928 (5-HTR2C) apresentaram maior ingesta diária média de energia (p=0,007), de carboidratos (p=0,019), e de lipídios (p=0,005); e maior espessura da dobra cutânea tricipital em Z-score (p=0,034) do que portadores do alelo A. Portanto, pressupõe-se que crianças homozigotas para o alelo A1 (DRD2/ANKK1) e meninas homozigotas G/G (5- HTR2C), apresentam menor densidade de receptores de dopamina e de serotonina, respectivamente, o que estimula a ingesta de alimentos palatáveis para prolongar a sensação de recompensa. Os demais polimorfismos não foram associados com padrões de ingestão alimentar e parâmetros de adiposidade na amostra estudada. No entanto, o acompanhamento desse estudo continua, e pode elucidar a contribuição genética para a obesidade ao longo dos anos.
metadata.dc.description.abstract-en: Childhood obesity is considered a public health problem, especially in developed and developing countries. The increased consumption of high fat and high sugar foods, combined with reduced physical activity, cause an energy imbalance that leads to excessive fat accumulation and therefore leading to obesity. These high fat and high sugar foods are highly palatable and stimulate an hedonic hunger, that is, a hunger related to the pleasure of eating, and not related to caloric needs. The dopaminergic and serotonergic systems are directly related to pleasure, appetite and motivation to eat. However, individuals may have different levels of reward, which can grant different patterns of food intake. Therefore, the genetic variability of the dopaminergic and serotonergic systems may be related to different responses to food among individuals exposed to the same environmental factors. The objective of the study is to investigate the association of variants in dopaminergic and serotonergic systems with adiposity parameters and patterns of food intake in children. This study is a prospective cohort of 427 children who participated in a randomized study initiated at birth, in the city of Porto Alegre. The nutritional status of children, measured by anthropometric and dietary data was collected at 12 months and at 2-3 years of age. DNA (deoxyribonucleic acid) extracted from oral mucosa cells was analyzed for the following polymorphisms by PCR (Polymerase Chain Reaction) in real time using hydrolysis probes (TaqMan System): rs4680 (COMT); rs1800497 (DRD2); rs1048953 (SLC6A3); rs2071877, rs2312054 and rs12391221 (SLC6A14); and rs3813928 (HTR2C). The 5-HTTLPR polymorphism (SLC6A4) was analyzed by conventional PCR followed by agarose gel electrophoresis. The A1/A1 genotype of DRD2/ANKK1 gene was associated with increased subscapular skinfold thickness Z-score at 12 months (p=0.022) and 2-3 years (p=0.020) and BMI Z-score at 2-3 years (p=0.009) when compared to carriers of the allele A2. At 12 months, homozygous G/G girls of the rs3813928 polymorphism (5-HTR2C) presented higher average daily energy (p=0.007), carbohydrates (p=0.019) and lipid (p=.005) intake; and higher triciptal skinfold thickness Z-score (p=0.034) than carriers of the A allele. Therefore, it is presuppose that children homozygous for the A1 allele (DRD2/ANKK1) and girls homozygous G/G (5-HTR2C) have lower density of dopamine and serotonin receptors, respectively, which stimulates the intake of palatable food to prolong the feeling of reward. Other polymorphisms were not associated with food intake patterns and adiposity parameters in the sample. However, the follow-up of this study continues, and may elucidate the genetic contribution to obesity over the years.
Description: Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
metadata.dc.rights: Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
metadata.dc.relation.requires: Adobe Reader
metadata.dc.date.date-insert: 2016-07-07
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGCS - Dissertações



Creative Commons
This item is licensed under a Creative Commons License