Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufcspa.edu.br/jspui/handle/123456789/139
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[DISSERTAÇÃO] Feltez, GabrielaTexto integral1,04 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorTartari, Janice Luisa Lukrafkapt_BR
dc.contributor.authorFeltez, Gabriela-
dc.date.accessioned2016-04-22T13:44:18Z-
dc.date.available2016-04-22T13:44:18Z-
dc.date.issued2013-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/123456789/139-
dc.descriptionDissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.pt_BR
dc.description.abstractA cardiopatia congênita atinge cerca de 8/1000 nascidos vivos no mundo. As alterações hemodinâmicas advindas da doença, associadas à insegurança dos familiares em permitir a realização de exercício, são responsáveis pela reduzida capacidade de exercício, determinando consequentemente um prejuízo na qualidade de vida. Objetivos: avaliar a capacidade de exercício em crianças e adolescentes com cardiopatia congênita cianótica corrigida. Secundariamente, avaliar a força muscular respiratória, os níveis séricos de peptídeo natriurético tipo B (BNP) e a função cardíaca bem como a possível associação entre estas variáveis. Métodos: Trata-se de um estudo transversal que avaliou 48 crianças e adolescentes de seis a 18 anos provenientes do ambulatório do Instituto de Cardiologia/Fundação Universitária de Cardiologia. Os pacientes realizaram teste de caminhada de seis minutos-TC6, avaliação das pressões inspiratória e expiratória máximas, dosagem sérica do peptídeo natriurético tipo B e ecocardiografia. Resultados: A média de idade foi de 13,3±4,1 anos e a cardiopatia mais prevalente foi a tetralogia de Fallot 54,2%, seguida da transposição de grandes vasos 16,7%. A média da distância percorrida no TC6‟ foi de 452,7±73,2 metros, valores significativamente abaixo (69%) do predito (p<0,001). A pressão inspiratória máxima foi acima do predito (111,4%) com média de 58,2±22,3 (p=0,56), e a média da pressão expiratória máxima foi de 63,2±23,3 cmH2O, significativamente abaixo (63%) do predito (p<0,001). Cinquenta por cento da amostra era eutrófica e 37,5% apresentaram sobrepeso/obesidade. O peptídeo natriurético tipo B foi elevado em todos os pacientes, sendo a mediana de 2087,17 (502,54 a 4768,05). A mediana da fração de ejeção ventricular foi de 65,9 (41 a 100). Não houve correlação entre o teste de caminhada de seis minutos e a fração de ejeção ventricular esquerda (r= -0,05; p= 0,72), a força muscular inspiratória (r= 0,03; p= 0,81), a força muscular expiratória (r= 0,09; p= 0,05) e o BNP (r= - 0,04; p= 0,77). Conclusão: Crianças e adolescentes com cardiopatia congênita cianótica demonstraram menor capacidade de exercício e força muscular expiratória. Não foram encontradas associações entre a capacidade de exercício, força muscular respiratória, peptídeo natriurético tipo B e fração de ejeção ventricular esquerda.pt_BR
dc.language.isootherpt_BR
dc.relation.requiresAdobe Readerpt_BR
dc.rightsAtribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/*
dc.subjectCardiopatias Congênitaspt_BR
dc.subjectCriançapt_BR
dc.subjectAdolescentept_BR
dc.subject[en] Heart Defects, Congenitalen
dc.subject[en] Childen
dc.subject[en] Adolescenten
dc.titleCapacidade de exercício em crianças e adolescentes com cardiopatia congênita cianótica corrigidapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor-coPellanda, Lucia Campospt_BR
dc.description.abstract-enCongenital heart disease affects about 8/1000 alive births in the world. Hemodynamic changes resulting from disease, associated with anxiety of families to allow the completion of exercise are responsible for reduced exercise capacity, determining consequently loss of quality of life. Objectives: To assess exercise capacity in children and adolescents with surgically corrected congenital cyanotic. Secondly, assess respiratory muscle strength, serum B -type natriuretic peptide (BNP) and cardiac function as well as the possible association between these variables. Methods: This was a cross-sectional study that evaluated 48 children and adolescents aged six to 18 years from the outpatient department of the Instituto de Cardiologia/Fundação Universitária de Cardiologia. Patients underwent six-minute walk test - 6MWT, assessment of maximal inspiratory and expiratory pressures, serum B -type natriuretic peptide dosage and echocardiography. Results: Mean age was 13,3±4,1 years and heart disease more prevalent was tetralogy of Fallot 54,2%, followed by transposition of great vessels 16,7%. The average distance traveled in 6MWT was 452,7±73,2 meters, significantly below (69%) of predicted (p< 0,001). Maximal inspiratory pressure was above the predicted (111,4%), mean of 58,2±22,3 (p= 0,56) and mean expiratory pressure was 63,2 ± 23,3 cmH2O, significantly lower (63%) of predicted (p< 0,001). Fifty percent of the sample were eutrophic and 37,5% were overweight/obese. B-type natriuretic peptide was elevated in all patients, with a median of 2087,17 (502,54 to 4768,05). The median left ventricular ejection fraction was 65,9 (41-100). There was no correlation between the six-minute walk test and left ventricular ejection fraction (r= -0,05; p= 0,72 ), inspiratory muscle strength (r= 0,03 ; p= 0,81), expiratory muscle strength (r= 0,09 ; p= 0;05) and BNP (r= -0,04 ; p= 0,77). Conclusion: Children and adolescents with congenital cyanotic heart disease demonstrated lower exercise capacity and expiratory muscle strength. No associations were found between exercise capacity, respiratory muscle strength, Btype natriuretic peptide and left ventricular ejection fraction.en
dc.date.date-insert2016-04-22-
Appears in Collections:PPGCR - Dissertações



Creative Commons
This item is licensed under a Creative Commons License